domingo, 27 de setembro de 2015

O Pequeno Príncipe - sobre não esquecer


Como é de praxe, as coisas que acontecem comigo, os lugares onde vou, as pessoas que conheço, e as que se vão tb, estão todas misturadas num grande caldeirão, que vivo mexendo e remexendo, ora dentro do peito, ora dentro do pensamento.
Tudo se mistura com um trecho de música, uma mensagem do insta ou da época do grupo de jovens.
Frases filosóficas tem seu lugar, os videos, e filmes... e bilhetinhos tb... tudo se mistura nas lembranças tortas e saudades mais tortas ainda, geralmente melhoradas, por uma lente cor-de-rosa que uso sempre que olho para trás.
Aos poucos os pensamentos vão se encaixando como as engrenagens de um relógio, e o tempo vai passando.
Nossa mente seleciona aquilo que parece mais importante...
Mas e aquilo que passa? Aquilo que se foi? Pra onde vai?
Quero acreditar que existe, para além da camada de ozônio, ainda próximo da nossa atmosfera, um vasto campo magnético, cheio de ganchinhos onde ficam penduradas nossas ideias.
Ideias grande ou pequenas, não importa... de repente, vuuuupt, lá se foi mais uma... e todas elas lá nesse campo magnético, podem se tornar um grande catálogo, onde todas as pessoas, do mundo inteiro podem acessá-las livremente...
Memórias, lembranças, nossa infância... misturado com o imprevisível do futuro que sempre nos mete um medinho... E a certeza de que tudo que vamos fazendo no dia a dia é plantação e colheita, tudo ao mesmo tempo, semeando e semeando.. para um futuro maravilhoso.
Ao assistir O Pequeno Príncipe, fiquei encantada com a delicadeza,  com os olhares, com o colorido da infância que formará uma adulta maravilhosa.
O vínculo, a amizade, é disso que fala o livro, a história e também o filme.. "o essencial é invisível aos olhos" - e só quando a gente se dá conta de que emanamos essa energia invisível é que é possível mudar nossas escolhas.. melhorar nosso jeito...
Podemos crescer, amadurecer... é necessário, mas não precisamos esquecer... não precisamos deixar pra trás o encantamento, a curiosidade, o interesse pelas coisas, pelas pessoas e o que elas estão sentindo.
Quero lembrar pra sempre um bom filme, uma boa história... que me sensibilize.. que me mostre minha fragilidade que é exatamente proporcional a minha fortaleza... e pelos mesmos motivos...
Ahhh essa vida é mesmo uma beleza...