domingo, 12 de julho de 2015

Sobre o que fortalece os elos: comunicação não-violenta



Tem vezes que a gente lê tanta coisa, vai somando tudo isso e não consegue expressar... Daí vem alguém, que consegue traduzir em palavras um punhado de sentimentos que a gente ainda estava tentando organizar.
Compartilho com vocês e me digam o que acham:

"Que linda e complexa é a arte da Comunicação Não-Violenta, que entre tantas coisas, busca interromper o discurso predominante e criar sistemas sociais que nos nutrem. Em um evento não cobrado, e não gratuito organizado por Dominic Barter, aprendi:
- A ver o conflito como um meio de intimidade
- Que precisamos receber empatia para dar empatia
- Expressar nossa vulnerabilidade pode ajudar a resolver conflitos
- Empatia nos permite ressignificar nosso mundo e assim seguir em frente
- Empatia é um entendimento respeitoso do que o outro está experienciando
- O que o outro faz pode ser o estímulo de nosso sentimento, mas não a causa
- Toda mensagem, independente do conteúdo ou forma, é a expressão de uma necessidade
- Sempre checar, o que o outro realmente quis dizer, mesmo por trás do insulto ou xingamento
- Que a Comunicação Não-Violenta é um espaço aberto, único, onde algo novo pode surgir
- Que em uma conversa que se busca um entendimento, não se deve INsistir, nem DEsistir, mas sim PERsistir
- Falar desde o coração é uma das mais poderosas ferramentas para mudar o mundo
- A Raiva pode ser um importante "chamado ao despertar" para ajudar a entender o que se necessita e o que se valora
- Para praticar CNV, devemos estar continuamente conscientes da beleza que temos dentro de nós e da beleza que há dentro das outras pessoas
- Da importância da clareza sobre qual é o mundo em que gostaríamos de viver, e assim começarmos a vivir desta maneira
- A sua presença é o bem mais precioso que podes dar a outro ser humano.
“Nunca ninguém se perdeu, Tudo é verdade e caminho.” - Fernando Pessoa.
"Para além das ideias de certo e errado, existe um campo. Eu me encontrarei com você lá." – Rumi"
Photo By Marta Pawlik
texto inspiração: Tomás de Lara
foto: Unsplash

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Faça parte da corrente, comente!