segunda-feira, 18 de maio de 2015

Valei-me meu pai...

Eu tenho um santo
Padroeiro, poderoso
Que é meu pai Ogum
Eu tenho
Tenho outro santo
Que me ampara na descida
Que é meu pai Xangô
Caô
E quem me ajuda
No meu caminhar nessa vida
Pra ir na corrida do ouro
É Oxum, é Oxum
Nas mandingas que a gente não vê
Mil coisas que a gente não crê
Valei-me, meu pai, atotô, Obaluaê
Obaluaê
Por isso que a vida que eu levo é beleza
Apesar das tristezas
Eu só vivo a cantar, cantar
Cantando eu transmito alegria
E afasto qualquer nostalgia
Pra lá, sei lá
E há quem diga
Que esta minha vida
Não é vida para um ser humano viver
Podes crer
Nas mandingas que a gente não vê
Mil coisas que a gente não crê
Valei-me, meu pai, atotô, Obaluaê

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Faça parte da corrente, comente!