quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

Vento Negro

Onde a terra começar
Vento Negro gente eu sou
Onde a terra terminar
Vento negro eu sou
Quem me ouve vai contar
Quero luta, guerra não
Erguer bandeira sem matar
Vento Negro é furacão
Tua vida o tempo
A trilha o sol
Um vento forte se erguerá
Arrastando o que houver no chão
Vento negro, campo afora
Vai correr
Quem vai embora tem que saber
É viração
Dos montes, vales que venci
No coração da mata virgem
Meu canto, eu sei, há de se ouvir
Em todo o meu país
Não creio em paz sem divisão
De tanto amor que eu espalhei
Em cada céu em cada chão
Minha alma lá deixei
Seguinte.... chegou o dezembro e é um tempo de mudanças... de revisão. Um momento para exercitar o cabeção, mas "sem  cabecismo" (Katia Suman)... Então para chegar essa época mais feliz, faça sempre, em todo o lugar, com todas as pessoas que cruzarem o teu caminho, o que diz nessa música:

"EM CADA CÉU EM CADA CHÃO MINHA ALMA LÁ DEIXEI"

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Faça parte da corrente, comente!