quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Sarau Elétrico - Eu

Eu tenho ido ao Sarau, semana após semana, religiosamente..... Segundo Katia Suman, sou uma usuária. Viciada assumida. Conforme twittei outro dia: Literatura + música + precinho = receita de um final de dia feliz!
Minhas terças ficaram melhores, depois do investimento cultural que eu e Fábio decidimos fazer.
 E espero que consigamos manter o hábito...
Hoje o tema era o EU, e como sempre, saio desse momento de leituras, risadas, e novos horizontes, cheia de vontade de escrever.
Fischer leu Nelson Motta, que mendigava elogios ao seu trabalho. Inevitavelmente, imaginei meu caderno de poesia da adolescencia: tilibra, linha click, com o cenário de uma praia, um barco e dentro dele, 4 modelos. Confesso que a capa que eu queria mesmo era uma com a foto de Gianechinni, Ana Paula Arósio e Taís Araujo, tb adolescentes!..Eles pareciam muito mais felizes!
Talvez tenha sido a capa, que deu o tom das páginas, hoje amareladas, onde eu escrevia minhas palavrinhas tristes.. de uma época em que eu tinha tempo para ficar triste.
Nas primeiras páginas algumas tentativas de sonetos que, por vergonha e agora um pouco mais de consciência (ou talvez com menos efeitos dos meus hormônios), jamais publicaria aqui.
Logo em seguida coisas que gosto até hoje, sabe-se lá porque: "Corpo é ALgo MAis."
Algo que só faz sentido quando escrito... essa sou eu... A sutileza de algumas sílabas...

Viro mais algumas páginas, e vejam só, num ato de consciência, do alto dos meus 15 anos, escrevo sobre o tema do Sarau de hoje:

EU

Meu eu como a lua,
Fechado, porém grande,
Bonito e cintilante
As vezes explosivo como a lua gigante
Outras quietinho tal lua minguante
Sou eu.
Atrevida, bem humorada
Só no pensamento: mal educada...
Quieta! Lua retardada,
boba e apaixonada.

Imagino a voz de Katia Suman lendo essas linhas curtas. (Não, não poderia imaginar Cláudia Tajes, uma vez que meu poeminha não fala em "grande como um pinto" ou "explosivo como um orgasmo"... risos)

Estou no carro, voltando pra casa, e percebo que o trânsito está mais tranquilo que o normal.
23h35 na Assis Brasil e as motos passam brandas entre os carros. Estranho.
Os carros numa velocidade média de 40km/h ou 50km/h, no máximo...
Meu pensamento busca esse caderno, dentro de mim. Recordo algumas palavras e penso: eu gostava de escrever... Eu me encontrava naquelas linhas. Eu me conhecia melhor quando escrevia sobre aqueles sentimentos? 

Talvez esse post seja um resgate, faça parte da minha viagem (pra dentro...), com uma parada importante na primeira conexão: Eu.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Faça parte da corrente, comente!