quarta-feira, 24 de junho de 2009

Nó em pingo d'água..


Somos como chuva
correndo na janela
Até que um dia
é um dia de sol.

Dia de sol é como prisão
Prendendo em nuvens
Pingos que somos nós

Nós que somos difíceis de segurar...
Nós que somos emaranhado,
amarrado,
apertado coração que chove...
Sem parar.

Nós que somos nós
que para desatar não há
Ancora ou corrente,
Poste, pneu, marreta
Cacetete...

Nós que estamos juntos
Nós que demos o nó.
Então que desatemos
o nosso nó da garganta.


Mel Danda

"...A poesia prevalece..."

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Faça parte da corrente, comente!