domingo, 26 de outubro de 2008

É Hoje

Fernanda Abreu

Composição: Indisponível

É HOJE
A minha alegria atravessou o mar
e ancorou na passarela
Fez um desembarque fascinante
No maior show da terra
Será que eu serei o dono dessa festa
Um rei
No meio de uma gente tão modesta
Eu vim descendo a serra
Cheio de euforia para desfilar
O mundo inteiro espera
Hoje é dia do riso chorar
Levei o meu samba pra mãe de santo rezar
Contra o mal olhado eu carrego meu patuá
Eu levei !
Acredito
Acredito ser o mais valente nessa luta do rochedo com o mar
E com o ar!
É hoje o dia da alegria
É a tristeza, nem pode pensar em chegar
Diga espelho meu!
Diga espelho meu
Se há na avenida alguém mais feliz que eu
Diga espelho meu

segunda-feira, 20 de outubro de 2008

Gente fina - Martha Medeiros (me identifiquei!)


Gente fina é politica-mente correta?
Se for, não sou gente fina, porque fico muito impaciente com certas cortesias exageradas. Por exemplo, outro dia estava no aeroporto e uma voz no alto-falante convidou a embarcar os passageiros da melhor idade. Se eu tivesse cem anos, entenderia que todos deveriam passar na minha frente. Que melhor idade? Claro que alguém pode estar mais satisfeito aos 80 anos do que quando tinha 40, mas isso é levar em conta o específico. Na hora de generalizar, sejamos menos franciscanos. Milhares de pessoas idosas têm a cabeça ótima e estão realizadas, mas se tiverem bom humor, vão dispensar o consolo: pô, melhor idade é provocação.

O mesmo sobre magros e gordos. Cada um faz o que bem entender com o próprio corpo. Comer com liberdade é um direito e ninguém tem que se sacrificar para atender a um padrão estético, mas que ser magro é melhor do que ser gordo, é. Pra saúde é melhor, pra se vestir é melhor, pra se locomover é melhor, pra dançar é melhor. Não quer dizer que um gordo não seja feliz. Geralmente, são felizes à beça, mais do que muito varapau. Mas se fosse possível escolher entre ser magro e ser gordo sem nenhum efeito colateral de felicidade ou infelicidade, sem nenhum esforço, só no abracadabra, todo mundo iria querer ser magro, assim como todo mundo preferiria se cristalizar entre os 30 e os 50 anos. Eu acho. A não ser que eu esteja louca, o que é uma hipótese a considerar.

Porém, melhor que tudo é ser gente fina. Finíssima. Isso nada tem a ver com a tendência atual de ser seca, de parecer um esqueleto ambulante. Gente fina é outra coisa.

Gente fina é aquela que é tão especial que a gente nem percebe se é gorda, magra, velha, moça, loira, morena, alta ou baixa. Ela é gente fina, ou seja, está acima de qualquer classificação. Todos a querem por perto. Tem um astral leve, mas sabe aprofundar as questões quando necessário. É simpática, mas não bobalhona. É uma pessoa direita, mas não escravizada pelos certos e errados: sabe transgredir sem agredir. Gente fina é aquela que é generosa, mas não banana. Te ajuda, mas permite que você cresça sozinho. Gente fina diz mais sim do que não, e faz isso naturalmente, não é para agradar. Gente fina se sente confortável em qualquer ambiente: num boteco de beira de estrada e num castelo no interior da Escócia. Gente fina não julga ninguém – tem opinião, apenas. Um novo começo de era, com gente fina, elegante e sincera. O que mais se pode querer? Gente fina não esnoba, não humilha, não trapaceia, não compete e, como o próprio nome diz, não engrossa. Não veio ao mundo pra colocar areia no projeto dos outros. Ela não pesa, mesmo sendo gorda, e não é leviana, mesmo sendo magra. Gente fina é que tinha que virar tendência. Porque, colocando na balança, é quem faz a diferença.

A vida é o dever que nós trouxemos para fazer em casa.


Quando se vê, já são seis horas!
Quando se vê, já é sexta-feira...
Quando se vê, já terminou o ano...
Quando se vê, perdemos o amor da nossa vida.
Quando se vê, já passaram-se 50 anos!
Agora é tarde demais para ser reprovado.


Se me fosse dado, um dia, outra oportunidade, eu nem olhava o relógio.
Seguiria sempre em frente e iria jogando, pelo caminho, a casca dourada e inútil das horas.

Desta forma, eu digo:

Não deixe de fazer algo que gosta devido à falta de tempo,
a única falta que terá, será desse tempo que infelizmente não voltará mais.


Mário Quintana

domingo, 19 de outubro de 2008

Com 25 anos eu aprendi....

... que temos que criar vínculos e cortar outros.
... que nunca conhecemos as pessoas completamente.
... que sorrir é mais fácil que sentir.
... que dizer a verdade é mais difícil que eu imaginava.
... que quando a gente é criança planejar é muito mais fácil.
... que quando se tem alguém para amar de verdade algumas coisas ficam muito mais fáceis.
... que eu não sou mais tão romântica.
... que eu tenho que organizar meu tempo melhor.
... que eu não me recupero de porres tão facilmente como quanto eu tinha 18 anos.
... que eu tenho amigos de verdade.
... que quando a gente se decepciona com alguém, pode ser para sempre.
... que quando a gente ama alguém pode ser para sempre.
... que festa com música castelhana sempre é divertida.
... a fazer um doce de morango maravilhoso.
... que Paris é um sonho que se tornou realidade.
... que viagens ampliam os horizontes, mudam os planos e a maneira de encarar o mundo.
... que usar blush muda muito a imagem que transmitimos às pessoas.
... que não preciso comer banana para não ter cãimbras.
... que eu sou bem resolvida para as coisas do coração, para o que sinto em relação as pessoas.
... que ainda não sei o que vai ser da minha vida profissional.
... o que eu não quero para a minha vida profissional.
... que um blog, às vezes, é um bom desabafo.
... que eu gosto de estudar e aprender.
... que sou soprano.
... que a minha cor preferida é roxo.
... que eu tenho estilo.
... que me conhecendo posso ir ainda mais longe.
... que no mundo organizacional não posso confiar em todo mundo.
... que eu não gosto de mentira, apesar de mentir às vezes.
... que eu tenho direito de sentir raiva.
... o que é amar de verdade.
...que eu sou criativinha!!!

Foi um grande ano.
Vive la France!

..::..Aniversário da Mel..::..

Sexta-feira foi meu aniversário... completei 26 anos.
O dia começou bem, com a Ju e a mãe me esmagandinho já na primeira hora! Meu sonho era ser uma tartaruga para entrar no casco e não deixar a Ju colocar a mão gelada na minha costela!!!!
O pai disse coisas bem legais, me desejou tudo de bom e foram pra Floripa.
Fui na puc para renovar livros da mãe, passei na Uffizi para pegar o vale do outback... Depois fui para a CDL.
Recebi uma homenagem linda das gurias, chamaram pizza, enfeitaram meu monitor com post-its, a sala com balões e o presente tinha tudo a ver, um kit de beleza para a Mel: três pares de brincos, duas piranhas de cabelo roxas e uma pulseira com pingentes diversos que formam um patuá... Tudo muito lindo! Prateado e roxo! Não tem erro!!!!
Adorei, adorei o carinho...
Já tava emocionada, quando ganhei uma mensagem linda do Rudinei, um colega lá do serviço que eu nem tenho muito contato. Chorei. Mas sabe.... Ele viu em mim exatamente o que tento transmitir para as pessoas... Pequenos detalhes que fazem a diferença. Um sorriso, um oi simpático pode mudar o dia de alguém.
Se eu posso apostar em algo, tá aí.... Nos detalhes é que conquistamos a galera!
No final do dia encontrei o Fábio e fomos para o Iguatemi.
Comemos muuuuuuuuuuuuuuuuuito no tal outback, passei mal!
Ou passei muito bem, ainda não sei!
hehehehehehehehehehhehehehehhehehehhehe....
Sábado chegou, fui no Super, dormi de tarde, fomos pra festa de noite!
Aí... não sei... Não curti.
A Ju não pode entrar, eu já tava bem tchuca, perdi o presente que a Dani (namorada do Ricardo) me deu... Fiquei mega triste.
Já tava enjoada, aí cabou-se; Não via a hora de ir embora.
Mas a parte boa é que foi TODO mundo!!! Foi uma galera........ Tava tri!
Passei o domingo meio enjoada, meio bebada ainda, meio me recuperando... hehehehehe...

E é isso... Foi um final de semana bem animado!

Beijos

quinta-feira, 9 de outubro de 2008

Vento Negro



Kleiton e Kledir

Composição: José Alberto Fogaça

Onde a terra começar
Vento Negro gente eu sou

Onde a terra terminar

Vento negro eu sou

Quem me ouve vai contar
Quero luta, guerra não

Erguer bandeira sem matar
Vento Negro é furacão

Tua vida o tempo

A trilha o sol

Um vento forte se erguerá
Arrastando o que houver no chão

Vento negro, campo afora
Vai correr

Quem vai embora tem que saber

É viração
Dos montes, vales que venci

No coração da mata virgem

Meu canto, eu sei, há de se ouvir
Em todo o meu país
Não creio em paz sem divisão

De tanto amor que eu espalhei

Em cada céu em cada chão

Minha alma lá deixei

duvidas, tristezas, desgostos e anseios

Vida profissional.

Comunicacao. Pq? Pq nao tem matematica.
Por exclusao: PP
Mercado de trabalho: disse sim. Disse muito sim. Hoje sei que recusar uma proposta eh tao importante quanto aceitar a proposta certa.
Assessoria de imprensa.
Em 2005: Jornalismo.
Me apaixonei, ja fiz varios estagios, e fiquei feliz com o reconhecimento.
De uns tempos para ca...
To cada vez mais cansada de ir pra aula, de provas, trabalhos, fotos, materias, notas, exigencias, para de conversar, para de digitar, egos feridos, egos gigantes, professores felizes, professores obrigados....
Eu cansada, cansada...
A funcao de trabalhar a partir das 12h me mostrou que muita gente quer ajuda com comunicacao.
Estou com alguns projetos paralelos a tudo isso e vejo que tenho jeito para a coisa.
Gosto dos detalhes, das apresentacoes de powerpoint bem feitas. Gosto de fazer as pessoas se sentirem especiais e isso me motiva.
Mas nao consigo fazer isso na CDL. Nao to conseguindo fazer isso em casa ou com meus amigos!
Morro de saudade dos meus amigos.
Quero fazer mais por eles, quero que as pessoas facam mais por seus amigos e nao sei por onde comecar.
Acredito nas minhas ideias, sei que consigo muito mais do que faco hj.
Mas por onde comeco?
Quando vou me sentir feliz, realizada com o que faco?
Quem vai comprar minhas ideias?
Como ser reconhecida por isso?
Vejo as gurias do Marketing me elogiando, e ao mesmo tempo nao sei como transformar esses elogios em algo concreto.
Quero fazer as pessoas se sentirem especiais.
Sei que posso fazer isso.
Como eu ainda nao sei, se isso eh jornalismo, publicidade, marketing, endomarketing, nao importa... importa eh buscar o melhor das pessoas. O melhor de cada um, fazer o melhor de um grupo inteiro e depois de uma entidade grande e ser reconhecida por isso.
Sera? Quando, hein????

Tristezas.. tristezas vem e vao, eu sei... Mas enquanto elas nao vao ficam por aqui, entropecendo o peito, entristecendo o olhar.

Desgostos, sim eles tb vem e vao... Alguns ficam mais tempo, amargando o gosto de muitas coisas. Interferindo em todo o resto, embargando a voz, rasando os olhos de agua.

Anseios? Tenho muitos, a ordem muda, conforme os desgostos, os sabores e dissabores na vida.

"...A vida eh a arte do encontro, embora haja tanto desencontro pela vida..." - Samba da Bencao.