domingo, 10 de agosto de 2008

Nossos próprios donos

O colunista Sydney Harris conta uma história em que acompanhava um amigo a banca de jornal. O amigo cumprimentou o jornaleiro amavelmente, mas como retorno recebeu um tratamento rude e grosseiro. Pegando o jornal que foi atirado em sua direção, o amigo de Harris sorriu polidamente e desejou um bom fim de semana ao
jornaleiro. Quando os dois amigos desciam pela rua, o colunista perguntou:
"- Ele sempre te trata com tanta grosseria? "
"- Sim, infelizmente é sempre assim..."
"- E você é sempre tão polido e amigável com ele? "
"- Sim, sou."
"- Por que você é tão educado, já que ele é tão inamistoso com você? "
"- Por que não quero que ele decida como eu devo agir. Nós somos nossos 'próprios donos'. Não devemos nos curvar diante de qualquer vento que sopra, nem estar à mercê do mau humor, da mesquinharia, da impaciência e da raiva dos outros. Não são os ambientes que nos transformam, nós é que transformamos os ambientes."

John Powell, S. J.

Um comentário:

  1. Mel, eu acredito muito nisso que tu escreveu. É por isso que eu insisto em ser um coração de crachá!
    E acho também que tu tá muito certa em disseminar esse posicionamento. É dessa forma que a gente conhece o caráter das pessoas que estão ao nosso redor.

    E gosto do teu caráter, negrinha!!!
    Beijos, te adoro!

    ResponderExcluir

Faça parte da corrente, comente!